Pular para o conteúdo principal

Curso de Amostragem de Solo

Nos dias 17 e 18 de abril de 2017, aconteceu, no Centro Universitário SENAC de Santo Amaro, o Encontro Técnico de Áreas Contaminadas, com um workshop/curso sobre sondagens e amostragem de solo para compostos orgânicos voláteis (VOCs, no "jargão" das áreas contaminadas).
Esse evento foi uma realização conjunta entre a AESAS e a coordenação dos cursos de Remediação e de Gerenciamento de Áreas Contaminadas do SENAC, da qual Marcos Tanaka Riyis,  Diretor Técnico da ECD, faz parte, junto com o Coordenador dos Cursos, o Dr Rodrigo Cesar de Araujo Cunha.
O curso teve aulas teóricas e práticas, ministradas pelos docentes Marcos Tanaka Riyis, da ECD, Nilton Jorge Miyashiro, da Engesolos, e Silvio Almeida, do laboratório Eurofins/Anatech, e contou com apenas 30 vagas, rapidamente preenchidas pelos interessados em conhecer novas técnicas e abordagens sobre essa importante atividade dentro das investigações de áreas contaminadas, tema sobre o qual já desenvolvemos diversos textos aqui nesse espaço.
No 1o dia, o curso começou com uma parte teórica ministrada por Marcos Tanaka Riyis, que salientou a importância da amostragem de solo à luz da recente Decisão de Diretoria (DD-038), ao mesmo tempo que demonstrou a ineficiência e limitações dos métodos tradicionais de amostragem de solo (Trado manual e Direct Push com furo aberto, ou Single Tube). A seguir, Nilton Miyashiro, na sua aula teórica, falou sobre as principais metodologias de amostragem de solo adequadas à quantificação de massa e à definição de unidades hidroestratigráficas. Na parte da tarde desse 1o dia, Nilton demonstrou, na prática, com a participação das equipes e máquinas na Engesolos, como fazer uma adequada amostragem de solo pela metodologia Direct Push - Piston Sampler e as limitações da metodologia Single Tube.
No 2o dia, novamente o curso começou com uma parte teórica ministrada por Marcos Tanaka Riyis, que tratou do estado-da-prática da amostragem de solo para voláteis usando a metodologia Direct Push - Dual Tube e seguindo os passos da retirada e avaliação em campo das amostras de solo no liner com vistas a selecionar amostras para serem analisadas para compostos orgânicos voláteis (VOCs). A seguir, Silvio Almeida, explicou as questões relativas a preservação, transporte e análise de amostras de solo para voláteis, ressaltando as diferentes metodologias permitidas pela norma NBR 16.434 na ótica do laboratório. Na parte da tarde, Marcos retornou, demonstrando, com a ajuda das equipes e equipamentos de amostragem de solo da ECD Sondagens Ambientais e alguns equipamentos cedidos pela Stricto Soluções Ambientais, como fazer a amostragem de solo, seleção e preservação das amostras de solo em uma área com suspeita de contaminação por solventes clorados (que são compostos voláteis).
Conversas informais indicaram que o curso atingiu plenamente os seus objetivos, e em breve, será realizada uma nova versão desse curso, organizado em conjunto pela AESAS e pelo SENAC.

A ECD novamente se orgulha de participar desse compartilhamento de informações e conhecimento, contribuindo para a melhora do nosso mercado, e agradece o convite dos organizadores pela oportunidade.










Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

ECD ministra aula de campo para alunos do SENAC

A ECD Sondagens Ambientais Ltda, através de seu Diretor Técnico Marcos Tanaka Riyis, ministrou duas aulas práticas sobre Investigação de Áreas Contaminadas para alunos do SENAC.
A primeira delas, em maio/2015, foi para alunos da 2a turma do Curso de Pós Graduação em Remediação de Áreas Contaminadas, dentro da disciplina Técnicas de Investigação para Remediação.
A segunda, em junho/2015, foi para alunos da 14a turma do curso de Pós Graduação em Gerenciamento de Áreas Contaminadas, dentro da disciplina de Técnicas de Investigação, sob a responsabilidade do Professor Ms. Vicente de Aquino Neto.
O objetivo das aulas foi proporcionar aos alunos um contato com algumas ferramentas pouco usuais nas investigações de áreas contaminadas atualmente conduzidas no Brasil, sempre visando uma mudança no paradigma, que coloque a etapa de diagnóstico no centro do processo, e que a identificação da massa de contaminante e sua interação com o meio físico seja o resultado da etapa de investigação, não um …

ECD faz ensaios RCPTu para dimensionar remediação

No mês de março/2013, a ECD foi contratada por uma Consultoria para coletar dados geoambientais em uma área contaminada por diesel no bairro da Vila Guilherme, em São Paulo-SP. Após uma conversa muito proveitosa com a Consultoria parceira, o corpo técnico da ECD, aproveitando sua experiência e pesquisas sobre Investigação Geoambiental de Alta Resolução sugeriu que, antes da instalação dos poços de bombeamento solicitada inicialmente, fossem feitos alguns ensaios de piezocone de resistividade (RCPTu) para uma adequada elaboração do Modelo Conceitual do Site e, com isso, os referidos poços pudessem ser adequadamente locados e dimensionados. A Consultoria prontamente aceitou, pois foi contratada pelo "Responsável Legal" para corrigir uma remediação projetada e executada por uma outra consultoria, que havia falhado. Para resolver o problema, era necessária uma adequada investigação geoambiental, e o ensaio RCPTu foi a ferramenta escolhida. Como o responsável pela Consultoria co…

Power Probe da ECD em Cubatão

Essa semana a Power Probe da ECD está realizando um trabalho em Cubatão. Como todos que trabalham com Investigação Geoambiental sabem, na região de Cubatão, o nível de água costuma ser raso e o solo é muito arenoso ou orgânico, típico de mangue. O trabalho realizado pela ECD era coletar amostras de solo com liner (via Direct Push) a até 5,0 m de profundidade. O nível de água do site era cerca de 0,5 m. Pode-se imaginar a dificuldade do trabalho.
A equipe de Investigação Geoambiental da ECD foi ao local com a Power Probe, recém adquirida da AMS  Inc, fábrica dos EUA. A única forma de obter amostras representativas era utilizando a ferramenta Piston Sampler. Alguns leitores podem perguntar o porquê dessa afirmação. Vamos tentar responder: Se o solo é muito arenoso ou com nível de água muito raso, a tendência é que o furo de sondagem desmorone, ou seja, caso seja utilizada a metodologia tradicional (Single Tube, Macro Core ou Open Hole, todas as definições para amostragem com o furo abe…