Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de 2018

Amostragem de Solo - Metodologias

Vários amigos leram o meu artigo anterior, sobre o papel da Amostragem de Solo na Investigação de Áreas Contaminadas, e pediram para eu desenvolver um pouco mais os detalhes de qual modalidade de amostragem de solo deve ser utilizada para cada situação.

Quem leu o artigo anterior e outros textos meus já deve ter se convencido que a amostragem de solo é a etapa fundamental da investigação de áreas contaminadas, que ela deve ser feita inclusive na zona saturada, que ela é obrigatória para instalação de poços de monitoramento e que ela deve ser feita preferencialmente por Direct Push com liner.

Vou tentar aqui desenvolver o porquê disso e qual modalidade de Direct Push se adequa melhor a cada ocasião.

Inicialmente, olhando para uma situação mais simples, que é a amostragem do solo superficial, até 1,0 m de profundidade, pode-se dizer que praticamente toda metodologia e ferramenta consegue coletar amostras representativas, variando um pouco apenas de acordo com o objetivo e com a substânc…

Amostragem de Solo - Posso Viver Sem?

Sempre brinco com meus amigos do mundo das áreas contaminadas que tenho um "mantra", que é "Amostrai o solo". Tentarei, nesse breve artigo, explicitar algumas razões para a existência desse mantra e para a minha insistência com esse tema, que trata da amostragem de solo para investigação de áreas contaminadas.
Vou logo dar a resposta para a pergunta-título: Não, de modo algum você pode realizar uma investigação sem amostrar o solo. Vou enumerar as razões:

- A DD-038 (só pra ficar em um exemplo) estabelece que devem ser investigados todos os meios, ou seja, solo, água subterrânea e ar do solo, ou seja, ela obriga o Responsável Técnico a realizar uma amostragem de solo
- Se você, por qualquer motivo, estiver investigando somente a água subterrânea instalando poços de monitoramento, é obrigado, pela NBR 15.495-1, a ter um modelo conceitual prévio, estabelecer a zona-alvo do monitoramento, dimensionar abertura das ranhuras e granulometria do pré-filtro, tudo isso antes…

Varredura Vertical de SQIs

Embora seja um nome complicado, a varredura vertical de Substâncias Químicas de Interesse (SQIs) é um conceito relativamente simples na investigação de áreas contaminadas: consiste em verificar qual a distribuição vertical do seu contaminante, ou seja, em quais profundidades há maior massa das SQIs, com duas finalidades principais: selecionar amostras para a realização de análises químicas quantitativas; e verificar quais as principais interações das SQIs com o meio físico, tudo isso em escala de detalhe, em especial nas áreas fonte.
Em resumo, essa varredura vertical de SQIs é um dos dois pilares da investigação em alta resolução, junto com a definição e delimitação das unidades hidroestratigráficas (especialmente as zonas de fluxo e zonas de armazenamento).
As varreduras verticais são importantes para qualquer SQI a ser investigada, mas tem seu uso mais comumente aplicado nos hidrocarbonetos de petróleo e nos compostos orgânicos voláteis (VOCs).
Esse texto irá tratar da varredura ve…

ECD Ministra Treinamento para Exército Brasileiro

No início do mês de maio/2018, a ECD foi convidada para ministrar um workshop em São Vicente-SP, para um grupo de oficiais do Exército Brasileiro, que está se preparando para atuar no gerenciamento de possíveis áreas contaminadas sob sua responsabilidade.
Nesse workshop, a equipe da ECD, junto com 03 alunos do Curso de Pós-Graduação em Gerenciamento de Áreas Contaminadas do SENAC, que também voluntariamente se dispuseram a ajudar, realizou amostragem de solo de perfil completo, varredura vertical de voláteis, definição da principal unidade hidroestratigráfica de fluxo e instalação de dois poços de bombamento nessa unidade hidroestratigráfica.
Além disso, o Diretor Técnico da ECD Marcos Tanaka Riyis ministrou uma palestra sobre investigação de áreas contaminadas e mostrou, na prática, uma metodologia de descrição tátil visual e, principalmente, de definição das zonas de fluxo e armazenamento.
Mais uma vez a ECD mostra que está empenhada em divulgar boas práticas e compartilhar o conhec…

Varredura de Compostos Orgânicos Voláteis (VOCs)

No Gerenciamento de Áreas Contaminadas, o diagnóstico de uma área se inicia com uma Avaliação Preliminar. O produto final dessa Avaliação Preliminar deve ser um plano de investigação confirmatória, que deve levar em conta, para locar os pontos de amostragem de solo, água subterrânea e/ou ar do solo,  todas as Substâncias Químicas de Interesse (SQIs) manipuladas na área, todas as áreas fonte, todas as fontes potenciais, todas as fontes primárias de contaminação e o meio físico. Se houver incertezas sobre algum desses itens, o Responsável Técnico deverá propor um método de varredura ou screening.
O presente texto vai cuidar exclusivamente de varreduras para encontrar fontes de SQIs que sejam compostos orgânicos voláteis (VOCs). Ressalta-se que o objetivo de um screening é coletar grande quantidade de dados qualitativos, de baixo custo individual, para se ter uma tendência, uma linha de evidência, que permita direcionar a amostragem de solo, água subterrânea ou ar do solo. Essa varredura…

ECD - Retrospectiva 2017

Como em todos os anos, nós da ECD fazemos uma retrospectiva do ano que passou, para que possamos ver onde estávamos e para onde estamos indo (veja aqui a primeira, de 2010; a especial de 10 anos, em 2014; a de 2015; e a de 2016). Embora o caminhar seja sempre o essencial, é importante pararmos um pouco para ver o que fizemos.
2017 foi o ano de implementação e ratificação da mudança da cultura histórica de uma empresa tradicional de sondagens. Agora com equipe bem reduzida, a empresa guinou totalmente e não tem como objetivo fazer mais metros, instalar mais poços, pegar todos os serviços, disputar espaço com a concorrência. O objetivo do Oceano Azul, descrito no ano passado, foi incessantemente buscado, com o desenvolvimento de novas metodologias, técnicas e ferramentas que ajudaram as consultorias parceiras na elaboração de seus modelos conceituais. Dessa forma, em 2017, não trabalhamos PARA consultorias, mas sim, trabalhamos COM as consultorias.
Também solidificamos parcerias com out…