Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de 2017

ECD apresenta trabalho no CIMAS/2017

Mais uma vez temos o orgulho de compartilhar a notícia que, no último dia 30/10/2017, a ECD Ambiental, através de seu Diretor Técnico Marcos Tanaka Riyis, participou da Edição de 2017 do Congresso Internacional do Meio Ambiente Subterrâneo (CIMAS).
Nessa ocasião, Marcos apresentou oralmente um de seus trabalhos inscritos, o "Amostragem de Solo Direct Push de Perfil Completo (ASPC) como Ferramenta de Quantificação de Massa", escrito em conjunto com Mauro Tanaka Riyis, também da ECD e Rafael Muraro Derrite, da Stricto Soluções Ambientais.
Embora com pouco tempo, apenas 10 minutos, foi possível passar a mensagem já discutida aqui algumas vezes, sobre a importância da amostragem de solo para a quantificação de massa de Substâncias Químicas de Interesse (SQIs). Como curiosidade, tivemos, nessa edição, o retorno, ainda que virtual, do John Cherry, que abrilhantou demais a 1a Edição do CIMAS, em 2009. Um dos primeiros slides da apresentação (em breve será disponibilizada aqui) foi …

Curso - Investigação de Áreas Contaminadas

A ECD participou, entre os dias 18, 19 e 20 de setembro de 2017, do curso de Investigação de Áreas Contaminadas, em mais um Encontro Técnico promovido pela AESAS e pelo SENAC e organizado pela Soldí Ambiental.



Os docentes do curso foram Ana Paula Queiroz, da Waterloo, Rodrigo Cunha, da CETESB, Martim Souza, da ERM, e Marcos Tanaka Riyis, Diretor Técnico da ECD.
Foram três dias excelentes, de muitas trocas de ideias e principalmente muita desconstrução a respeito do que deve ser feito em uma investigação de áreas contaminadas, desde a Avaliação Preliminar até a Investigação Detalhada. Muitos mitos foram desfeitos, novos paradigmas foram instituídos.
No primeiro dia, Rodrigo falou bastante sobre o que a DD-038 espera dos Responsáveis Técnicos no que se refere às etapas de Investigação. Logo após, Marcos mostrou os erros mais comuns na investigação, e iniciou a desconstrução dos "antigos dogmas" da investigação, como: "não se amostra solo na zona saturada", "só t…

Curso - Sondagem e Amostragem de Solo: Agosto/2017

Nos dias 14 e 15/08/2017, a ECD participou ativamente da 2a Edição dos Encontros Técnicos Sobre Áreas Contaminadas - Sondagem e Amostragem de Solo, promovido em conjunto pela AESAS e pelos cursos de Pós-Graduação em Gerenciamento e em Remediação de Áreas Contaminadas do SENAC.
Essa foi a segunda edição desse curso (confira sobre a 1a edição, em abril/2017 aqui), cujos docentes foram: Silvio Almeida, da Eurofins, Nilton Miyashiro, da Engesolos, e o Diretor Técnico da ECD, Marcos Tanaka Riyis.
Foram dois dias de intensa troca de informação e construção coletiva do conhecimento sobre a principal temática do curso, a amostragem de solo que, conforme já dissemos, passa a ser, com a nova DD-038 da CETESB, a etapa mais importante do processo de Investigação de Áreas Contaminadas.
O professor Nilton tratou das metodologias de coleta de amostras de solo, com destaque para o Dual Tube e o Piston Sampler, para a identificação das unidades hidroestratigráficas e seleção de amostras para análises …

Amostragem de Solo para Recuperação de Áreas Contaminadas

Esse texto, escrito em 2014, trata da importância da amostragem de solo dentro do processo de Recuperação, ou Revitalização, de Áreas Contaminadas, particularmente na investigação e elaboração do modelo conceitual. Já tratamos diversas vezes do assunto amostragem de solo, e dissemos que essa amostragem tem de ser Direct Push, e mais ainda, deve ser Dual Tube, ou Piston Sampler ou Single Tube revestifa por Hollow Stem Auger, ou trados ocos helicoidais. Em breve publicaremos um artigo sobre essas diferenças e sobre as limitações das outras metodologias. Para ler os artigos anteriores, tem esse, sobre o Curso que ministramos em abril/17, esse, sobre uma aula prática que auxiliamos justamente para ajudar a ressaltar a importância de uma boa amostragem de solo, e esse, um artigo muito lido no nosso blog que fala sobre o porquê de amostrarmos solo na zona saturada.

Esse texto foi originalmente escrito para a Revista Pollution Engineering Brasil. Como a revista foi descontinuada, vou republ…

Investigação de Áreas Contaminadas

Esse texto foi originalmente escrito para a Revista Pollution Engineering Brasil, em junho/2013. Como a revista foi descontinuada, vou republicar alguns textos aqui no Blog da ECD, com alguma revisão. Segue o texto, que trata da importância da Investigação dentro do processo de Gerenciamento de Áreas Contaminadas
Em outro texto [1], tratamos da importância da investigação para o processo de gerenciamento de uma área contaminada, em especial para a etapa de remediação. Nesse, pretendo detalhar alguns princípios para que essa investigação tenha a qualidade adequada. Inicialmente, é preciso que todos os envolvidos no gerenciamento da área contaminada (Responsável Legal, Responsável Técnico, Poder Público) tenham muito claro que é preciso priorizar as etapas de investigação, ao invés de concentrar os recursos humanos, financeiros e tecnológicos na etapa de remediação.  O Responsável Legal (dono da área ou “dono do passivo”) tem que entender isso e exigir o mesmo de seu Re…